Renan Filho assina convênio para recuperar rodovias de Alagoas e anuncia faixa adicional para liberar tráfego na BR-101

129
renan filho
Foto: Felipe Brasil/MT

Empenhados em garantir melhores condições viárias para a população, o Governo Federal, por meio do Ministério dos Transportes, e o governo de Alagoas firmaram um acordo para recuperar quatro rodovias estaduais: AL-101 Sul, AL-110, AL-220 e AL-215. Para viabilizar as obras, uma faixa adicional será criada para liberar o tráfego na BR-101.

O convênio que permitirá a revitalização de 162,7 quilômetros de vias públicas foi assinado nesta segunda-feira (27/11) pelo ministro dos Transportes, Renan Filho, e pelo governador de Alagoas, Paulo Dantas, no Palácio República dos Palmares, em Maceió.

“Esse convênio vai somar esforços ao governo do estado e é importante pela segurança viária e para o fortalecimento do turismo, sobretudo nesta época de verão”, afirmou o ministro Renan Filho, que anunciou, ainda, que o trecho interditado da BR-101 será liberado ao tráfego até o final deste ano. “Com isso, conseguiremos desafogar novamente o fluxo das rodovias estaduais e poderemos recuperá-las integralmente”, completou.

Onde serão executados os serviços?

  • AL-101 Sul (42,4 km): entroncamento BR-424 – entroncamento AL-220 (Barra de São Miguel);
  • AL-110 (57,4 km): entroncamento BR-101 (São Sebastião) – entroncamento AL-220 (Arapiraca) – entroncamento BR-316 (Taquarana);
  • AL-220 (36,5 km): entroncamento AL-101 Sul (Barra de São Miguel) – entroncamento BR-101 (São Miguel dos Campos);
  • AL-215 (26,6 km): entroncamento AL-101 Sul (Marechal Deodoro) – entroncamento BR-101.

As estradas tiveram o fluxo de veículos aumentado por conta das interdições na BR-101, entre os quilômetros 120 e 124, em São Miguel dos Campos, trecho que afundou em novembro de 2022 por conta de um acidente geológico e permanece em obras de recuperação até dezembro. Enquanto isso, as vias estaduais que tiveram que absorver o tráfego pesado desviado da rodovia federal e acabaram com parte do pavimento danificado por conta da quantidade de veículos de carga acima do dimensionado.

No total, serão aproximadamente R$ 100 milhões em recursos para serviços de manutenção, sendo R$ 98,9 milhões por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e cerca de R$ 1 milhão de contrapartida do governo de Alagoas. “É o resultado de uma união de esforços proposta pelo governo do presidente Lula, que tem feito muito por Alagoas, pelo Nordeste e por todo Brasil”, destacou o governador de Alagoas, Paulo Dantas.

A previsão é de que os serviços comecem 15 dias após a assinatura do convênio e que o serviços sejam finalizados no primeiro semestre de 2024. Caberá ao DNIT fiscalizar a execução dos trabalhos, a serem conduzidos pelo Departamento de Estradas de Rodagem de Alagoas (DER/AL).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui