Serviço de Convivência muda vida de maceioenses em vulnerabilidade

19

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) tem uma grande importância na vida de idosos, crianças e adolescentes e mulheres maceioenses. Além de incluir socialmente, esses equipamentos, localizados, em grande parte, nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), promovem a qualidade de vida para os usuários.

Reconhecendo essa importância, o secretário de Desenvolvimento Social, Fernando Davino, iniciou nesta semana, um cronograma de visitas às unidades para conhecer mais de perto as atividades desenvolvidas nos grupos do serviço e como esses equipamentos mudam para melhor a vida dos usuários.

Em cada visita, os grupos estão fazendo apresentações culturais, mostrando o que cada um tem de melhor, em cada unidade. No dia 26 de março, a visita foi no Cras Cacilda Sampaio, no Vergel do Lago. O grupo de idosas e mulheres dançou Carimbó e demonstrou o que estão aprendendo nas aulas de Karatê com a professora e faixa preta Midori Othuki.

O secretário Fernando Davino é psicólogo e, conversando com o grupo, destacou que essas atividades desenvolvidas pelo Serviço de Convivência tiram muitos da depressão. “Esse ambiente de convivência e inclusão faz muito bem à saúde. Esse clima saudável é bom para os usuário e familiares, que terão em casa pessoas mais felizes e mais realizadas com a variedades de atividades e experiências que elês tem frequentando os grupos”, pontuou.

Grupo de Carimbó do Cras Cacilda Sampaio. Foto: Ascom Semdes
Grupo de Carimbó do Cras Cacilda Sampaio. Foto: Ascom Semdes

Dona Cícera Ricardo é do Serviço de Convivência há mais de 20 anos e conta como participar das atividades tem lhe ajudado a curar a depressão. ”Meu filho morreu e fiquei muito deprimida. Acabei mudando de bairro e fiquei mais triste ainda. A equipe daqui do Cras soube disso e me incentivou a voltar às atividades. E fiz isso, voltei a morar no bairro e ao grupo de idosos. Aqui, tenho apoio e sou muito acolhida. Para afastar a depressão, participo das aulas de Karatê e Carimbó e o que aparece aqui no Cras, eu faço. Só não posso ficar em casa”, contou a aposentada .

Serviço de Convivência

Em Maceió, cerca de 2.500 pessoas participam das atividades do Serviço de Convivência. A capital conta com 16 núcleos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Semdes, localizados nos Cras e nas unidades do Lar São Domingos, Juvenópolis e Centro de Convivência Claudia Malta.

Nessas unidades acontecem, diariamente, atividades socioeducativas, culturais, esportivas e de lazer voltadas para esse público.

A coordenadora-geral do Serviço de Convivência da Semdes, Daniele Oliveira, ressaltou a relevância desse trabalho. ”Nossos serviços desenvolvem uma diversidade de atividades culturais, de arte, esporte, lazer, o que só beneficia os nossos usuários e impacta positivimente em suas vidas, já que proporciona a eles momentos de descontração, socialização, desenvolvimento de sua autonomia e protagonismo. Não é à toa que temos vários relatos de pessoas que saíram da situação de vulnerabilidade, de depressão e até de isolamento”, informou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui